in ,

Qual o melhor vinho para a ceia de Natal?

Chegamos naquela época do ano em que nossas preocupações são: compras de presente, compras de comida, compras de bebidas, comilança, troca de presentes, comer mais, comer um pouco mais e …. ufa!

Mas sempre rola aquela dúvida: que vinho eu levo para a Ceia de Natal?

O tema ‘harmonização’ já é polêmico. Combinar esse tema com a enorme variedade de comidas no Natal é ainda mais complicado!

Mas para tudo há uma solução e hoje estou aqui para te ajudar nessa missão.

Não vou discorrer sobre todas as teorias de harmonização vinho + comida. Vou direto ao ponto:

– Peru: um belo Pinot Noir da Borgonha cai muito bem. Vinhos italianos mais encorpados, como Barbera, Sangiovese (evite os muito potentes, como Barolo ou Supertoscanos). Um bom Merlot brasileiro vai deixar sua noite especial.

– Chester: prato bastante versátil que acompanha diferentes estilos de vinho. Pode ser um branco de médio corpo, como um Chardonnay ou um branco do Alentejo – evite os muito leves, como Vinho Verde. Pode ser um rosé mais encorpado (aqueles de tons mais escuros) ou ainda um tinto leve, jovem e frutado, como um Pinot Noir chileno ou um Tempranillo espanhol.

Com o famoso peru de Natal, prefira os tintos de leve a médio corpo

– Bacalhau: se for assado com legumes fortes (pimentão, azeitonas, brócolis), aposte nos vinhos tintos. Vinhos portugueses se destacarão aqui, como os do Alentejo ou do Dão.

Se for um bacalhau com molho branco, aposte nos brancos levemente encorpados, como Chardonnay barricado, Alvarinho também barricado, ou mesmo um Encruzado.

– Leitão: vinhos tintos portugueses, especialmente das regiões da Bairrada, Alentejo e Douro. Vinhos mais potentes, com mais álcool e alta acidez.

– Salpicão: esse é complicado, afinal pode-se colocar praticamente tudo num salpicão. Indico vinhos brancos aromáticos e de alta acidez, como um Sauvignon Blanc ou um Torrontés argentino.

– Panetone de frutas: aposte nos vinhos doces. Pode ser um espumante Moscatel ou um vinho fortificado estilo Porto Tawny. Se encontrar – e puder pagar – aposte em um Passito di Pantelleria. Um espetáculo!

Algum coringa?? Sim! Se quiser facilitar, um espumante Brut (ou seja, seco) harmoniza com praticamente todos os pratos, pois a alta acidez dos espumantes combinada com as borbulhas ajudam a limpar o palato após pratos muito gordurosos.

Espumante Brut é sempre uma excelente pedida, com praticamente todo tipo de comida!

Cuidado apenas com os doces: espumante brut irá brigar com doces ou pratos com muitas frutas secas ou molhos adocicados.

Boas festas e saúde!

Escrito por Claudia Melo

Empreendedora, palestrante, professora, viajante e uma total wine geek.

Comentários

Deixe o seu comentário

Loading…

0